24 de fevereiro de 2017

Crepioca um pouco gulosa


Nos últimos anos a comida "virou moda" e como a moda pede, as tendências da estação (sendo que as estações gastronómicas não coincidem necessariamente com as estações do ano, nem têm a mesma duração) vão desfilando pela internet, contagiando blogosfera, as revistas, as prateleiras dos supermercados e as nossas mesas. Eu que não sou muito de modas e tendências, confesso que no que toca a comida, gosto de experimentar as novidades. Algumas ganham lugar cativo na minha despensa, outras nem por isso.
A última tendência que começa timidamente a parecer por aí são os crepes de tapioca ou os crepiocas. Já conhecia o granulado de tapioca, mas desconhecia esta versão que entrou em minha casa por mero acaso quando uma amiga brasileira me presenteou com um pacote de goma de tapioca já pronta a usar. Ouvi atentamente as instruções dela e fiz uma breve pesquisa na internet e descobri que no Brasil faz furor, especialmente entre quem está a fazer dieta.
A tapioca é rica em hidratos de carbono, isenta de gordura e de gluten, com baixo teor de sal e de fácil digestão o que faz dela uma excelente opção para substituir o pão branco no pequeno-almoço, por exemplo. Claro que, à semelhança do que acontece com o pão, temos que ter atenção ao recheio: ou escolhemos um complemento com valor nutricional (fruta com mel e canela, por exemplo) ou deitamos tudo a perder (banana ou morangos e montes de nutella) e não há tapioca que nos valha. Nesta receita fiquei a meio caminho, escolhi uma peça de fruta como recheio, mas acrescentei-lhe o açúcar refinado. Foi um pequeno pecadilho para apaziguar a gudolice sem muito peso na consciência, mas tenho feito estes crepes para o pequeno-almoço misturando na tapioca 1 colher de sopa de linha moída, o que é uma mais valia nutricional e recheando com fruta fresca adoçada com uma colher de café de mel e polvilhada com canela. Também pode usar um recheio salgado: queijo e fiambre, frango, atum, legumes, etc.
Quanto à técnica o segredo é experimentar, experimentar e experimentar. Este foi o primeiro crepe que fiz e saiu mais ou menos, o segundo foi para o lixo, o terceiro ficou piorzinho que este e o que fiz hoje de manhã (acompanhado com papaia e canela) ficou bem lindinho.

Ingredientes:
2 colheres de servir de goma de tapioca
1 maçã golden
1 colher de sopa de açúcar

Preparação:
Comece por prepara o recheio: descasque e descaroce a maçã e corte em fatias bem finas.
Deite as fatias de maçã numa frigideira com o açúcar e deixe caramelizar, em lume médio, mexendo sempre. Ajuste o açúcar à doçura da maçã.
Quando estiver pronto reserve.
Peneire a tapioca sobre uma sertã anti-aderente com cerca de 18 cm de diâmetro. Agite a sertã de forma a que a tapioca se espalhe pela sua superfície formando um circulo.
Leve a sertã a lume médio e deixe cozinhar durante 1 a 2 minutos até o crepe estar solto (se abanar a sertã vê que o crepe está solto). Nas experiências que tenho feito espero até a sertã começar a fumegar (ligeiramente, claro) e o crepe empola um bocadinho no meio ou nas bordas.
Com a ajuda de uma espátula volte o crepe, e aguarde uns segundos, só para secar alguma goma que esteja solta. 
Volte novamente, espalhe o recheio sobre metade do crepe e com a espátula dobre a outra metade sobre o recheio. 
Transfira para um prato e delicie-se.


Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...