24 de setembro de 2016

Bacalhau fresco com cebolada no forno

 
A um bom desafio não se vira as costas e a este que a Iglo e o chefe Tiago Bonito lançaram não podia mesmo faltar: apresentar uma receita original com a nova tranche inteira de bacalhau fresco.
Lembro-me quando aos supermercados chegou uma novidade na banca do peixe chamada de "skrei", que mais não era que bacalhau fresco (da Noruega). A curiosidade foi imediata, claro, habituada que estava, desde pequenina,  a ver esse nosso grande amigo da gastronomia seco e salgado, bem espalmado, amontoado ou pendurado à porta das mercearias antigas. Nessa altura fiz questão de experimentar o bacalhau fresco que ficou logo aprovado, por isso quando o desafio foi lançado a resposta só poderia ser um sim rotundo.
E a receita? Bom, quem cozinha sabe como é a rotina: há dias em que cozinhamos porque tem que ser, há outros em que nos ficamos por um prato de sopa já pronta porque não nos apetece andar de volta de tachos e panelas, há os dias em que saímos da nossa zona de conforto e levamos à mesa novos ingredientes ou os ingredientes de sempre, mas cozinhados de forma diferente e há aqueles dias em que não queremos de forma alguma sair dessa zona de conforto, que queremos saborear os sabores de sempre porque nos fazem felizes. Foi assim hoje: o bacalhau, a cebolada coroada com a cor dos pimentos, a maravilhosa broa e as batatinhas novas. Parece um lugar comum, eu sei, mas até os lugares comuns nos conseguem surpreender. O D. chamou-lhe bacalhau guloso. Eu digo que este bacalhau, branco e suculento, há-de voltar à mesa, como lugar comum ou não, mas já ganhou lugar garantido.



Ingredientes:
1 tranche inteira de bacalhau freco Iglo
3 cebolas, às rodelas finas
1/2 pimento vermelho, em rodelas finas, sem sementes e filamentos
1/2 pimento verde, em rodelas finas, sem sementes e filamentos
2 dentes de alho, picados
1 fatia de broa de milho esfarelada (só o miolo)
2 fatias de presunto
Batatinha nova q,b.
Sal q.b.
Azeite q.b.
Azeitonas para guarnecer (opcional)




Preparação:
Descongele o bacalhau de acordo com as instruções da embalagem.
Aqueça o forno a 180º.
Coza batatinhas novas com casca em água e sal e reserve.
De seguida, refogue a cebola em azeite, numa sertã, em lume médio/alto, mexendo de vez em quando, até começar a amolecer, acrescente os alhos, envolva e deixe cozinhar mais 2 minutos.
Junte os pimentos envolva mais uma vez e continue a refogar, em lume médio, até os pimentos amolecerem. Tempere com um pouco de sal.
Acrescente, então, a broa e azeite em quantidade suficiente para manter a cebolada com molho, uma vez que a broa vai absorver parte do azeite que já está na sertã.
Tempere o peixe com sal (e pimenta se quiser), unte uma assadeira com azeite e coloque nela o peixe. Cubra com 2 fatias de presunto e verta a cebolada e todo o seu azeite sobre o bacalhau.
Leve ao forno a assar por cerca de 20 a 30 minutos. Se a cebolada começar a tostar demais cubra com papel de alumínio.
Entretanto, na mesma sertã onde fez a cebolada (limpa de qualquer sobra de broa) deite mais um pouco de azeite, deixe aquecer e aloure as batatinhas cortadas em metades.
Sirva o bacalhau rodeado das batatas, guarnecido a gosto e sempre com uma salada de verdes para acompanhar.

23 de setembro de 2016

Rolo de carne com farinheira em massa de pizza

De vez em quando começo a sismar numa refeição e ando com a ideia nela dias, semanas e às vezes meses a fio até que chega o dia e penso: é hoje! Foi assim com este rolo de carne que acabou envolto numa capa de massa de pizza e acompanhado de umas belíssimas batatas fritas, coisa rara cá por casa, mas a que não nos fazemos rogados de vez em quando. A carne escolhi-a no talho e pedi para a picarem, é mais saudável assim, sem aditivos e água e outras coisas que deixam boquiaberta quando leio os rótulos de carnes picadas pré-preparadas e afins. Quanto à massa de pizza usei de compra para acelerar o processo, mas podem usar uma massa feita por vós ou outra massa à vossa escolha: a massa folhada deve resultar lindamente, por exemplo. A maioneses também não é caseira. lamento, porque nada se compara à maioneses feita em casa, mas como é raro usar maionese não compensa fazê-la pela menor durabilidade que tem. De resto, caseirices à parte, ficou delicioso.


Ingredientes:
600 gr. de carne picada
1 cebola bem picada
1 dente de alho picadinho
1 ovo
2 colheres de sopa de polpa de tomate
Tomilho a gosto (só as folhas)
Pão ralado q.b.
Sal q.b.
1/2 farinheira
1 placa de massa de pizza (se for caseira melhor, claro)
Para servir:
Batata frita em palitos grossos, caseira
Maioneses de limão (maionese misturada com umas gotas de sumo de limão)



Preparação:
Retire a pele à farinheira e esmague o recheio com um garfo.
Numa taça grande coloque a carne picada juntamente com a farinheira, a cebola, o alho, o ovo batido, a polpa de tomate e o tomilho.
Misture tudo muito bem um garfo e, de seguida, amasse a mistura com as mãos.
Se a mistura estiver muito húmida junte pão ralado, pouco a pouco, até conseguir a mistura se agregar.
Transfira  a carne para uma folha de papel de alumínio, forme um rolo e embrulhe, fechando bem o papel.
Leva a assar a 180º durante 20 minutos.
Findo esse tempo, retire o rolo do forno e com cuidado, para não se queimar, abra a folha de alumínio.
Entretanto, estenda a massa de pizza e transfira o rolo para a o meio da massa e volte a fechar o rlo, desta vez com a massa.
Volte ao forno, reduzido a temperatura para 170º e deixe cozinhar até  a massa estar cozida.
Sirva com batata frita e a maionese.

19 de setembro de 2016

Bolo de pêras mais que delicioso

Ai pêras como gosto delas. Ponto indiscutível é que não podem estar maduras demais. Gosto delas até quase para o verde, a ponto de roer, por isso, de todas as minhas preferidas são a pêra Rocha e pêra D. Joaquina e foi por ter uma quantidade extra de pêra rocha que saiu esta sobremesa, que mais não é senão esta com pêras à mistura em vez das maçãs. Ficou absolutamente deliciosa (não sei que versão prefira, se a de maçãs, se esta) e vai directamente para a mesa da Marta, para participar no encontro mensal do "Intrusa na Cozinha"




Ingredientes:
Manteiga para untar
3 pêras médias não muito maduras
1/2 chávena de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
2 ovos
1/3 de chávena de açucar
1 pitada de sal
2 colheres de chá de extrato de baunilha
6 colheres de sopa de leite
2 colheres de sopa de manteiga sem sal, derretida e à temperatura ambiente
Geleia para barrar (usei calda de açúcar gelatinada*) 
Açúcar em pó para polvilhar (opcional)



Preparação:
Pré-aqueça o forno a 200º.
Unte uma forma quadrada com 20x20 cm com manteiga e forre com papel vegetal.
Descasque as pêras e fatie finamente, mas sem que fiquem fatias transparentes. Se tiver use uma mandolina.
Numa taça misture a farinha e o fermento.
Noutra taça bata os ovos com o açúcar e o sal, durante alguns minutos, até o açúcar se dissolver e a mistura ficar esbranquiçada.
Junte o extrato de baunilha, de seguida o leite e depois a manteiga derretida.
Acrescente a farinha e envolva até obter uma mistura macia.
Com uma espátula, envolva as maçãs na mistura até todas as fatias estarem cobertas pela massa.
Transfira a massa para a forma e alise o topo com a espátula.
Leve ao forno por 40 a 50 minutos ou até o bolo estar dourado. 
Verifique se está cozido espetando a ponta de uma faca ou um palito no centro, se sair seco estará pronto o bolo.
Deixe a forma arrefecer sobre uma rede durante uns minutos, de seguida desenforme e deixe arrefecer completamente.
Barre com geleia derretida, corte em quadrados e polvilhe com açúcar 

*Se lhe faltar geleia ou doce para cobrir os bolos e tartes, não desespere. Faça uma calda de açúcar gelatinada:
Num tacho coloque uma chávena de açúcar e uma chávena de água, mexa para o açúcar dissolver e deixe levantar fervura em lume forte. Quando ferver, reduza o lume e deixe ferver durante 6 minutos. Desligue o fogão e junte uma folha de gelatina previamente demolhada e escorrida. 
Guarde num frasco esterilizado.

(Foto: Intrusa na Cozinha)

9 de setembro de 2016

Fatias de figos

Com figos para gastar e pouca vontade de fazer compotas este ano, quando encontrei esta receita não hesitei em fazê-la. Acrescentei-lhe o cacau cru que lhe deu um sabor fabuloso, mas da próxima vez hei-de usar café, que também combina bem com os figos. Enquanto duraram foram o meu snack matinal juntamente com uma peça de fruta. Uma gulodice, especialmente o crumble de avelã.




(Fonte: The Kitchn)
Ingredientes:
3 colheres de sopa de nozes pecan (usei avelãs) finamente picadas
1/4 de chávena + 1 colher de sopa de açúcar mascavado
1 colher de sopa de maizena ou araruta
3 colheres de sopa de manteiga sem sal
 1 e 1/2 chávena de flocos de aveia integrais
1 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de canela
2 colheres de sopa de cacau cru em pó (acrecento meu)
6 tâmaras medjool (usei das normais), descaroçadas e cortadas em pedaços
3/4 de chávena de leite
1 ovo grande
2 figos frescos, cortados em fatias finas


Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Numa taça pequena junte as nozes, 1 colher de açúcar e a maizena.
Coloque a manteiga na forma ou tabuleiro onde vai fazer o bolo e leve ao forno durante cinco minutos, até a manteiga derreter.
Dê voltas à forma, de maneira a que a manteiga derretida se espalhe, para a engordurar.
Transfira a manteiga derretida em excesso (aquela que não se agarrou às paredes da forma) para uma taça e dela retire 2 colheres de sopa para juntar à taça das nozes.
Mexa bem para envolver a manteiga na mistura e reserve.
Numa taça maior combine a aveia, o fermento, a canela, as tâmaras, o chocolate e o restante açúcar.
Acrescente o ovo, o leite e a restante manteiga derretida e mexa bem.
Verta a mistura para a forma, decore com os figos e cubra com a mistura de nozes.
Leve a cozer por 25 a 30 minutos até as bordas estarem firmes (faça o teste da faca, de qualquer modo).
Corte em quadrados e sirva quente ou à temperatura ambiente com iogurte ou fruta fresca.

1 de setembro de 2016

Bolo de ananás, coco e lima para fazer o Setembro pensar que o Verão está para ficar


As receitas que nos fazem felizes repetem-se vezes sem conta, servido de base a muitos sabores. É o caso deste bolo que nos rendeu à primeira dentada (tal como outros bolos da Dorie, diga-se), porque é um bolo simples, como nós gostamos, porque a receita original tem a maçã como ingrediente (-"faço um bolo este fim-de-semana?" - Sim, de maçã"), por isso quando o Dia 1 na Cozinha lançou o tema "bolos de fruta" para abrir o Setembro, eu lancei logo mão desta receita, mas transformei-a em sabor.
Eu sei que Setembro é o mês de despedida de Verão e pelas nossas cozinhas começam a antrer sabores mais quentes, a chamar pelo Outono, e a maçã tinha sido, nessa perspectiva, um fruto rei para este bolo, mas o que eu queria mesmo era prolongar os dias de Verão, os dias de céu azul, de mar brilhante, o cheiro a maresia ao entardecer, os gelados, os grelhados no terraço, por isso a fruta escolhida para este bolo foi o ananás, fresco e sumarento a combinar perfeitamente com o côco da receita e bem enfeitado com raspa de lima (usei pouca, mas usem e abusem para um bolo irresistivel).



(Fonte: "Baking" de Dorie Greenspan)
Ingredientes:
1 chávena de farinha + para enfarinhar a forma
2 colheres de chá de fermento em pó
1/4 de colher de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1/2 chávena de açúcar
2 ovos grandes, à temperatura ambiente
2 colheres de sopa de calda de ananás (ou de rum, porque não?)
1/2 chávena de iogurte (equivale a 1 iogurte de 125gr)
6 colheres de sopa de óleo de girassol
1 chávena de coco ralado + para polvilhar
1 lata de ananás em calda
Raspa de lima a gosto
Manteiga para untar a forma


Preparação:
Unte uma forma com manteiga e polvilhe com farinha, retirando o excesso.
Numa taça misture a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal.
Coe a lata de ananás, reservando a calda, e corte o ananás em pedaços pequenos.
Bata o açúcar com os ovos, durante cerca de 1 minuto.
Acrescente o iogurte, a calda de ananás e o óleo e bata durante mais um minuto.
Envolva a farinha com uma espátula e acrescente a fruta e o coco ralado. Misture bem e verta para a forma. bata a forma na bancada para nivelar a massa e retirar bolhas de ar.
Leve o bolo a cozer em forno pré-aquecido a 170º durante 40 a 50 minutos.
Retire e deixe arrefecer durante cinco minutos sobre uma rede.
Desenforme o bolo sobre a rede e volte-o para um prato de servir.
Regue com alguma calda de ananás e polvilhe com coco ralado e raspa de lima (muita raspa de lima).
Sirva frio, de preferência depois de o levar ao frigorífico durante uma hora.





29 de agosto de 2016

Creme de tomate e beringela assados


O que se faz quando recebemos de presente um tabuleiro cheio de tomates coração de boi, acabados de apanhar na horta, e umas beringelas da mesma horta? Começo por me deliciar com saladas de tomate a todas as refeições. Adoro este tomate sumarento cheio de sabor e com os dois mais maduros que encontro no tabuleiro faço uma deliciosa sopa.
 



Ingredientes:
2 tomates coração de boi
1 berigela
1 cebola
1 dente de alho
Azeite q.b.
Sal q.b.
Pimenta preta moída na hora
Tomilho
Água

Preparação:
Limpar os tomates de sementes e de peles (se usar a Bimby ou outro robot de cozinha não precisa de pelar) e cortá-los em gomos grossos.
Descascar a beringela e cortá-la em rodelas.
Espalhara os legumes num tabuleiro, regar com azeite, temperar com sal e pimenta preta moída no momento e folhas de tomilho.
Deixar assar em forno pré-aquecido a 180º durante 20 a 30 minutos, envolvendo os legumes a meio do tempo.
No copo da Bimby ou numa panela colocar uma cebola coratada em pedaços, o dente de alho esmagado e todo os tomates e a beringela assados com todos os seus sucos.
Acrescentar água até quase os cobrir e deixar cozinhar em lume médio/forte durante 25 minutos (Bimby: 25 min/vel. 1/Varoma).
Quando estiver pronto triture com a varinha mágica (velocidades 3-5-7-8, progressivamente durante 1 minuto na Bimby). 
Acrescente água a ferver se estiver demasiado cremosa e rectifique os temperos.





26 de agosto de 2016

Palmieres e a gulodice de um simples pedaço de massa



Uma placa de massa folhada no congelador ... hummm. uma volta pelas minhas leituras do Feedly e vejo os palmiéres da Rita, La Dolce Rita. Pronto, está a decisão tomada e nem o calor me afasta da cozinha sem aquelas bolachinhas deliciosas estarem prontas.

O melhor é passarem pelo video da Rita, para perceberem melhor a técnica, ok? Já que posso não ter sido muito clara.




(Fonte: La Dolce Rita)
Ingredientes:
1 placa rectangular de massa folhada
Acúcar q.b.

Preparação:
Polvilhe a massa folhada com açúcar e calque com o rolo da massa. A intenção é fazer aderir o açúcar à massa sem a esticar.
Volte a massa do outro lado e repita a operação.
Com o lado mais comprido virado para si, encontre o meio da massa e dobre cada um dos lados para o centro, deixando um ligeiro espaço entre cada "folha" dobrada. Polvilhe com açúcar e calque com o rolo da massa.
Repita a operação mais duas vezes e no fim sobreponha os dois lados de forma a ficar um rectagulo estreito de massa. mais açucar de um lado e doutro e com uma faca afiada corte pedaços com cerca de 1 cm de largura.
Coloque a massa com as dobras voltadas para cima num tabuleiro coberto com papel vegetal, deixando espaço entre eles, e leve a assar em forno pré-aquecido a 170º até ficarem dourados e estaladiços. A meio da cozedura volte-os e deixe dourar do outro lado.
Deixe arrefecer e guarde numa caixa hermética.

22 de agosto de 2016

Zás trás e quase uma Pina Colada



Calor pede bebidas frescas e lanches igualmente frescos. Quem já me visita há alguns anos já conhece as minhas misturas de gelatina e iogurte que são um lanche ou uma sobremesa fresca, leve e saudável. Desta vez a experiência foi feita com a nova gelatina Alsa com pedaços de fruta: morangos, pêssego ou ananás a escolha é vossa. Não precisam de frio (embora fique deliciosa fresca) e podem andar sempre connosco na carteira para um lanche relâmpago. O nosso sabor preferido é a gelatina com ananás e foi com ela que fiz o meu lanche de ontem, para nutrir e aligeirar o calor. Ora vejam:



Ingredientes:
1 embalagem de gelatina Alsa com pedaços de ananás
1 iogurte de sabor a coco*
Raspa de lima a gosto

Preparação:
Comece por drenar o iogurte durante umas horas, vertendo-o para um passador de rede colocado sobre uma tigela. Desta forma vai retirar o soro do iogurte e deixá-lo mais cremoso.
Deite o preparado de gelatina para um recipiente e triture com a varinha mágica.
Transfira para um copo ou taça de servir e leve ao frio por cerca de 30 minutos para refrescar e solidificar um pouco.
Verta o iogurte sobre a gelatina e polvilhe com raspa de lima.
Sirva bem fresco.



* pode usar um iogurte natural, açúcarado ou não, dependendo do gosto, e depois de drenado misturar 2 colheres de chá de coco ralado

19 de agosto de 2016

Croissants ... tão bons



Não sendo um dia muito quente, daqueles que nos afastam do forno e apetecendo um coisinha doce, mas que não seja tão doce assim (não é pelas calorias, que a manteiga está cá para estragar essa festa), não deixem de experimentar estes croissants que já devem ter dado a volta à blogosfera umas duas vezes. Dificuldade só para quem quem, como eu, não se entende muito bem com massas mais gordurosas e com o rolo da massa, mas o esforço compensou, embora lá por casa ficasse a nota de que "se fossem um bocadinho mais doces...".
Por mim achei-os deliciosos e, no dia seguinte, estando a massa mais dura, foi só abri-los a meio e torrá-los. Que delicia.




(Fonte: Ponto de Rebuçado, numa receita adaptada da Susy Simbólica)
Ingredientes:
500 gr. de farinha sem fermenteo
1 saqueta de fermento de padeiro seco (uso Fermipan)
125 gr de leite
125 gr de iogurte natural
6 colheres de sopa de açúcar - mais, se gostar dos croissants mais doces)
1/2 colher de chá de sal
2 ovos médios
cerca de 100 gr. de manteiga sem sal amolecida
Leite para pincelar e açúcar em pó para polvilhar

Preparação:
Bimby:
No copo deite o leite, o açúcar e o fermento e programe 2 min./37º/vel 1.
Junte a farinha, o iogurte, o sal e os ovos  e programe 5 min/vel espiga.
Se a massa ficar demasiado pegajosa adicione um pouco mais de farinha.
Separe a massa em 8 bolinhas de tamanho igual e estique uma a uma com o rolo da massa até obter o tamanho de um prato normal.
Pincele cada camada com a manteiga amolecida (não derretida) e vá sobrepondo umas sobre as outras até chegar à ultima camada que não deve levar manteiga.
Estique o conjunto de discos de massa sobrepostos até obter o tamanho de uma pizza familiar (a minha ficou mais pequena, mas eu e o rolo da massa ....).
Corte 12 triângulos e enrole cada um partindo da parte mais larga até à mais fina.
Coloque-os num tabuleiro forrado com uma folha de papel vegetal e deixe levedar num sitio morno, por cerca de 1 hora.
Findo esse tempo pincele os croissants com o leite e salpique com açúcar granulado.
Leve ao forno pré-aquecido a 180º, por cerca de 15 minutos.
Retire do forno e polvilhe com açúcar em pó.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...