30 de janeiro de 2015

Rolls de frango

O tempo parece que encolhe, mas com alguma organização lá vou conseguindo manter esta Cozinha e hoje trago uma fácil de fazer e ideal para compartilhar com amigos, por isso estes rolls vão já para a festa de aniversário do blogue "Ponto de Rebuçado".
Eu sei que quando pensamos em festa, pensamos em bolos e doçarias, mas a verdade é que à medida que os anos avançam vou gostando mais dos salgados, por isso para mim uma festa tem que ter uma mesa bem recheada de rissois, bolinhos de bacalhau, bôlas, patés e tudo o mais que a nossa gula pedir. 
Estes "rolls" ou caracóis, ficam algures entre o pão recheado e a pizza. São tão bons e podemos rechear conforme nos aprouver e ficam sempre bonitos numa mesa. 


Ingredientes:
1 embalagem de farinha para pão de mistura Nacional
320 ml de cerveja branca
4 peitos de frango grandes*
1 cebola cortada em meias luas
1 dente de alho picado
1/2 copo de vinho branco
1 folhas de louro
2 raminhos de tomilho
150 gr. de queijo mozzarela ralado
Azeite q.b.
Sal a gosto



Preparação:
Comece por preparar a massa do pão, colocando na cuba da máquina a cerveja e de seguida a farinha. Seleccione o programa amassar.
Enquanto a máquina trabalha, prepare o recheio:
Num tacho deite um fio de azeite, a cebola, o alho picado e as ervas e deixe alourar em lume médio.
Quando a cebola tiver amolecido, junte o frango, cortado em pedaços pequenos, já temperado com sal, aloure de ambos os lados e junte o vinho e deixe estufar lentamente. Se ficar demasiado seco vá acrescentando água aos poucos, mas só o suficiente para a carne não pegar.
Quando o frango estiver cozinhado, retire as ervas aromáticas e deixe arrefecer.
Entretanto, estando pronta a massa, transfira-a para uma superfície enfarinhada e estenda-a em rectângulo até ficar com uma altura de cerca de 0,5cm.
Com o lado mais comprido do rectângulo virado para si, espalhe o recheio sobre a massa deixando uma margem no lado oposto polvilhe com o queijo e comece a enrolar a partir do lado que está virado para si, deixando a união para baixo.
Com uma faca afiada corte fatias do rolo com cerca de 2 cm e coloque-as num tabuleiro com o recheio à vista. Deixe levedar num local morno até dobrar de volume.
Leve a cozer em forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 30 minutos ou até a massa estar dourada e cozida (cubra com folha de alumínio se começarem a ficar muito tostados).

*Pode usar sobras de frango estufado ou assado.

27 de janeiro de 2015

Creme de aipo


Mais uma sopa, dirão vocês. Pois é, mas nestes dias de Inverno tão frios, o que é que pode saber melhor que uma sopa bem quente? Além disso a sopa é uma das refeições mais completas de que podemos usufruir. E a este propósito, não deixem de folhear a "Sabores Partilhados", com o seu ultimo número dedicado às sopas. (vejam o link no topo da coluna da direita aqui do blogue).
 Não sendo muito amiga do aipo, pelo seu sabor e aroma excessivamente doces para o meu gosto, não resisti a experimentar mais esta sugestão de Niki Segnit, tão simples, mas tão saborosa. Quem diria que uma "simplória" batata iria ser a causa da minha reconciliação com o aipo.

Ingredientes:
1 batata
4 a 5 talos de aipo
750 ml de caldo de frango*
Sal a gosto
Azeite q.b.
Nozes picadas a gosto, para servir



Preparação:
Tradicional:
Corte batata em cubos e os talos de aipo em pedaços.
Leve a refogar num fio de azeite, até amolecerem, mas sem deixar queimar.
Cubra com o caldo quente e deixe cozer os legumes.
Quando estiverem cozidos, triture com a varinha mágica, retifique o tempero e sirva com um punhado de nozes picadas.
Bimby:
Corte batata em cubos e os talos de aipo em pedaços.
No copo da Bimby deite um fio de azeite e junte os legumes. Programe 100º/5 minutos/velocidade colher.
Cubra com o caldo quente e programe Varoma/*20 minutos/vel. 1.
No fim triture, progressivamente, nas velocidades 3-5-7.
Retifique o tempero e sirva com um punhado de nozes picadas.

25 de janeiro de 2015

Chipster-topped brownies ou um bolo brownie?


O ano no "Dorie às Sextas" começou com um tentador desafio, mesmo "a matar" especialmente nesta época pós-festas. Brownie, sim brownie, aquele bolo baixinho, com muito chocolate e denso e este em duas camadas: uma de chocolate e outra de "bolacha".
Balançou-me o coração entre a "dieta" necessária para recuperar dos excessos (e este ano que foi uma fartazana de chocolates) e a atração do chocolate. Resolvi ceder...um bocadinho e reduzi a receita para um quarto da quantidade. Claro que já sabemos que isto de bolos é como a química: ou os ingredientes estão bem combinados e nas quantidades certas ou alguma coisa não vai correr muito bem. Não sei se me enganei em alguma redução ou se não escolhi a forma certa ou o forno me atraiçoou, a verdade é que estava a correr tudo muito bem até que a camada de bolacha enflipou, cresceu e formou, no interior do bolo, uma cratera, da qual só me apercebi quando toquei no topo para verificar a consistência e a bolacha cedeu. Ora, ora e agora? Deitar fora está-se mesmo a ver que não era solução. A fruta que tinha mais disponível eram maçãs. Maçãs, nozes e chocolate parecia-me uma boa ligação, por isso fiz-lhe um recheio de maçã caramelizada e acrescentei iogurte natural para servir (o iogurte acompanha na perfeição), mas já imaginaram como ficaria recheado de framboesas e natas??.
O que sobrou, cortei em quadrados e congelei (fi-lo no fim-de-semana passado). Este Domingo tem sido o nosso "desconsolo doce" e a aprovação foi de tal maneira que não podia mesmo deixar de partilhar convosco este brownie tão delicioso quanto pecaminoso.



Tradução de Susana Figueiredo para "Dorie às Sextas"

Ingredientes:
Para a camada de brownie
170 gramas de chocolate preto (bittersweet), cortado grosseiramente
85 gramas de chocolate amargo (unsweetened), cortado grosseiramente
225 gramas de manteiga sem sal, cortada em pedaços
1 2/3 chávenas de açúcar
4 ovos grandes
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de extrato de baunilha
1 chávena de farinha
1 chávena de nozes, cortadas grosseiramente
Para a camada de bolacha
1 1/4 chávenas de farinha
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal
170 gramas de manteiga sem sal, à temperatura ambiente
3/4 de chávena rasa de açúcar amarelo
2/3 de chávena de açúcar branco
1 ovo grande
1 gema de ovo grande
1 colher de chá de extrato de baunilha
170 gramas de chocolate preto, cortado em pedacinhos ou 1 chávena de chips de chocolate



Preparação:
Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-lo a 175ºC. Untar com manteiga uma forma retangular de 23x33 cm, forrá-la com papel vegetal e untar o papel.
Para o brownie
Juntar numa taça os dois chocolates e a manteiga e levar a banho-maria sobre um tacho com água a fervinhar. Mexendo ocasionalmente, aquecer apenas até os ingredientes estarem derretidos, brilhantes e suaves, tendo cuidado para a manteiga não se separar (o que pode acontecer se fcar demasiado quente). Retirar a taça do calor.
Com uma batedeira em velocidade média-alta, bater os ovos com o açúcar até ficarem pálidos, grossos e cremosos. Juntar o sal e a baunilha. Reduzir a velocidade para o mínimo e misturar o chocolate e a manteiga apenas até ficar incorporado. Raspar a massa dos lados da taça e, ainda na velocidade mínima, adicionar a farinha, batendo apenas até desaparecer. Com uma espátula de borracha, envolver as nozes e deitar a massa na forma. Reservar.
Para a massa de bolacha
Misturar a farinha,o bicarbonato e o sal. Bater a manteiga e os açúcares em velocidade média-alta até ficar suave e cremoso, durante 3 minutos. Juntar primeiro o ovo inteiro e depois a gema, batendo durante 1 minuto entre cada adição. Juntar a baunilha. Reduzir a velocidade e adicionar os ingredientes secos, batendo apenas até desaparecerem. Ainda em baixa velocidade, misturar o chocolate cortado. Deitar colheradas da massa de bolacha sobre a massa de brownie e, usando a espátula, espalhar a massa com suavidade.
Cozer durante 50-55 minutos ou até a bolacha estar bem dourada e firme. Uma faca inserida até à massa de brownie deverá sair apenas ligeiramente húmida. Retirar do forno e deixar arrefecer à temperatura ambiente. Quando estiver completamente frio, passar uma faca fina pelos lados da massa, desenformar e voltar a virar sobre uma tábua de cortar, ficando a bolacha para cima. Cortar em retângulos de 2,5 x 5 cm e servir simples, com gelado, com natas batidas, com crème fraîche ou com molho de chocolate.

 

24 de janeiro de 2015

Projecto Marmita - Semana 3/2015

A semana começou com a preguiça instalada, daí as duas primeiras marmitas serem idênticas ou quase. A primeira ainda beneficiou da paciência do fim-de-semana em que fiz uns legumes crocantes no microondas. Pois é, se não tiver nada contra o uso de microondas para cozinhar e se o seu aparelho tiver grill é muito fácil: corte os legumes em quadrados pequenos, tempere com sal, azeite e ervas da sua escolha, espalhe no prato do microondas e programe o grill na potência máxima por 10 minutos. No fim, volte os legumes com a ajuda de uma espátula e programe mais 5 minutos na mesma potência e já está.
Na terça a base foram uns brócolos cozidos, também eles aproveitados de outra refeição e na quarta a preguiça atingiu o expoente máximo: preguiça ao jantar do dia anterior levou-me ao take away e no dia seguinte lá estava uma trouxa de carne em couve lombarda com uma salada e lentilhas (cozidas e congeladas). A semana de marmita foi mais curta e acabou com uma salada mais invernosa de lentilhas novamente como base e com o meu ovo preferido: o escalfado.


Segunda-feira
Sopa de cenoura e feijão verde + Cubos de peru assado com legumes crocantes (cenoura, nabo e curgete)



Terça-feira
Sopa de cenoura e feijão verde + Peru assado com arroz e brócolos cozidos


Quarta-feira
Sopa de cenoura e feijão verde + Trouxa de carne com lentilhas, alho francês e tomate.


Quinta-feira
Sopa de cenoura e feijão verde + Lentilhas, milho, tomate e aipo com ovo escalfado

22 de janeiro de 2015

Do velho se faz novo



É tradição nas casas portuguesas, depois da consoada e jantar de Ano Novo, aproveitar as sobras do bacalhau cozido para fazer a chamada "roupa velha" ou "farrapo velho". Não obstante a tradição, a verdade é que este aproveitamento pode ser feito durante todo o ano e até com sobras de bacalhau assado (e fica igualmente delicioso).
Embora esta tradição se tenha tornado incontornável lá em casa, nem sempre gostei deste prato. Só quando o D. o começou a cozinhar, com o seu toque ligeiro de cominhos, é que comecei a apreciá-lo e quase todos os anos uma das primeiras marmitas do ano novo é feita desta tradição. Este ano o pouco que sobrou embrulhei numa folha de crepe. As boas tradições são mesmo assim: têm tanto de velho como de novo.



Ingredientes:
1 folha de crepe por pessoa (receita aqui e aqui)
Sobras de bacalhau, batatas e couves cozidas
2 ou 3 dentes de alho (consoante o gosto e a quantidade de sobras)
1 pitada de cominhos (opcional)
Sal q.b.
Azeite q.b.

Preparação:
Corte as batatas em cubos, lasque o bacalhau, depois de limpo de espinhas e de peles (estas pode deixar ficar se gostar) e corte a couve em pedaços generoso. Reserve.
Num tacho largo deite um fundo de azeite e o alho picado, refogue o alho até começar a lourar, mas sem queimar.
Junte as batatas e a couve, envolva e só no fim o bacalhau. Vá mexendo os ingredientes com a ajuda de uma colher de pau, até estarem ligados  (mas não em papa).
Rectifique os temperos e, se gostar, junte uma pitada de cominhos.
Coloque uma colherada de farrapo velho no centro da folhe de crepe e feche. Sirva com salada a gosto.

20 de janeiro de 2015

Costela mendinha em modo "slow"



Na minha mesinha de cabeceira existem sempre 2 ou 3 livros, um deles, pelo menos há-de ser de receitas ou ligado ao tema. Entre os que vou comprando e folheando pelas primeiras vezes, há os que voltam sempre ao mesmo poiso, como este, este e, definitivamente, este. Por estes dias é "O Dicionário dos Sabores" que tem feito as honras de leituras. Deleito-me a imaginar as combinações de sabores que Niki Segnit sugere ao longo das centenas de páginas do livro e guardo na memória as receitas que, por vezes, indica. 
Esta despertou-me a atenção quando consultava o capitulo dedicado às laranjas (tenho tantas tangerinas....) e era sugerida a combinação laranja/vinho tinto numa receita de guisado de carne, um prato que gosto de fazer nos dias frios de Inverno. Este guisado é cozinhado em modo "slow food", no forno, à semelhança da chanfana ou da alcatra dos Açores. Já não é a primeira vez que utilizo o forno para estes pratos e o resultado é sempre uma delicia. As carnes saem suculentas, quase a desfazerem-se e cheias de sabor, mas voltando às combinações de sabores, a dica que encontrei dizia que uma casca de laranja adicionada ao tempero do vinho tinto fazia toda a diferença, uma vez que a laranja iria realçar as notas do vinho. Sem que o sabor da laranja sobressaia, a verdade é que se notou ali uma ligeira subtiliza que tornou o molho muitíssimo agradável.



Ingredientes:
600 gr de costela mendinha, cortada em pedaços
2 cenouras, descascadas e cortadas às rodelas
1 cebola, às rodelas
2 tomates, pelados e sem sementes, em pedaços
1 tira de bacon cortada em cubos
1 copo de vinho tinto
1 ramo de cheiros (tomilho, louro e salsa)
1 casca de laranja
Sal q.b. (e pimenta para quem gostar)
Azeite q.b.



Preparação:
Pré-aqueça o forno a 150º.
De preferência num tacho largo que possa ir também ao forno, deite uma camada de cebola, cenoura, tomate e bacon. Regue com um fio de azeite.
Sobreponha uma camada de carne, nova camada de legumes e acabe com a outra camada de carne.
Tempere de sal as camadas de carne.
Refogue com tacho tapado em lume baixo/médio durante 10 minutos, abando de vez em quando para não pegar.
Depois acrescente o ramos de cheiros, a casca de laranja e o vinho, deixe levantar fervura e transfira para o forno, deixando cozinhar tapado e lentamente durante cerca de 2h/2h30 (a costela mendinha é uma carne tenra, que não requer tempos demasiado longos para ficar pronta).

17 de janeiro de 2015

Projeto marmita - Semana 2/2015

Esta semana foi condicionada por estados gripais e constipacionais que se instalaram lá por casa, por isso, duas das marmitas, embora preparadas para trazer para o trabalho acabaram em almoço em casa. Depois da época natalícia há que desabituar o organismo dos excessos (sim, porque se começarmos a comer sem regras é isso que o nosso corpo vai pedir: mais e mais, principalmente daquelas coisas tão boas, mas que, em excesso, nos fazem tanto mal) e mostrar-lhe que há outros alimentos deliciosos cheios de benefícios, além de que é preciso que aquelas calças voltem a deixar de estar apertadas na cinta (confesso: este ano abusei foi dos chocolates...). Sem o rigor de uma dieta, procuro refeições sem muitas gorduras e balancear nos hidratos. Um truque: se escolho uma refeição ou alimento mais pesado (carnes vermelhas, estufados fortes ou coisas como o empadão, delicioso, mas cheio de batata) o acompanhamento tem que ser muitos e muitos legumes.


Segunda-feira
Creme de couve-flor + Salada de quinoa, beterraba assada, cenoura ralada, romã, rúcula e coentros temperada com um molho de azeite, balsâmico, mel e flor de sal.
(sem foto)

Terça-feira
Creme de couve-flor + Salada de lentilhas, aipo, beterraba assada, rúcula, coentros e ovo escalfado

Quarta-feira
Creme de penca + Bolinhos de peixe com sésamo e salada de cenoura e curgete raladas, maçã, aipo, alface e rúcula como molho de iogurte (iogurte, azeite, sal, gengibre ralado, sumo de lima e aneto Espiga).


Quinta-feira
Creme de penca + tarte de frango com salada de cenoura, curgete, rúcula e tomate.

Sexta-feira
Creme de legumes + Empadão de carne + Salada de rúcula, alface, maçã e nozes com vinagrete balsâmico.


15 de janeiro de 2015

Nugets de peixe e quinoa



Como sabem, lá por casa não se deita comida fora. O que sobra ou serve outra refeição, ou serve a marmita ou é congelado ou é logo transformado e foi este último o destino que dei a uma posta de raia cozida, transformando-a nuns saudáveis nugets que foram cozinhados no forno em vez da habitual fritura. Ficam óptimos acompanhados com molho de iogurte. Ah, e podem ser congelados.



Ingredientes:
1 chávena de sobras de peixe cozido, limpo de peles e espinhas (usei uma posta de raia)
1 cenoura ralada
1/2 chávena de quinoa cozida
1/2 chávena + 1 colher de sopa de farinha de kamut (MyProtein)
1/4 de chávena de coentros picados
1 ovo L
Sementes de sésamo q.b.
Sal e pimenta q.b.
Azeite




Preparação:
Tradicional:
Pré-aqueça o forno a 180º e forre um tabuleiro com papel vegetal ou tapete de silicone, untado com azeite.
Numa taça grande coloque as sobras de peixe e esmague grosseiramente com um garfo.
Acrescente a cenoura, os coentros, a quinoa e a farinha e envolva. Prove e tempere a gosto. Junte a gema de ovo para ligar até obter uma massa moldável e forme um rolo.
Corte o rolo em fatias com cerca de 0,5cm de espessura.
Num recipiente bata a clara com 1 colher de sopa de água.
Noutro recipiente coloque as sementes de sésamo.
Passe os nugets pela clara, escorrendo bem e, de seguida, pelas sementes de sésamo. Vá dispondo sobre o tabuleiro e pincele o lado que fica voltado para cima com mais azeite.
Leve assar por cerca de 15 minutos, até as sementes estarem levemente douradas, vire os nugtes e deixe assar mais 5 minutos.
Sirva com uma salada e molho de iogurte.
Bimby:
Rale a cenoura: 5 segundos/velocidade 5.
Junte o peixe em lascas, a quinoa, a farinha e os coentros e misture 10 segundos/velocidade 3.
Acrescente agema de ovo e envolva 5 segundos/velocidade 4.
Retire a massa do copo e molde um rolo.
Corte o rolo em fatias com cerca de 0,5cm de espessura.
Num recipiente bata a clara com 1 colher de sopa de água.
Noutro recipiente coloque as sementes de sésamo.
Passe os nugets pela clara, escorrendo bem e, de seguida, pelas sementes de sésamo. Vá dispondo sobre o tabuleiro e pincele o lado que fica voltado para cima com mais azeite.
Leve assar por cerca de 15 minutos, até as sementes estarem levemente douradas, vire os nugtes e deixe assar mais 5 minutos.
Sirva com uma salada e molho de iogurte.


10 de janeiro de 2015

Projecto Marmita - Semana 1/2015

E cá estamos nós, com mais um ano de Projecto Marmita pela frente: alguma inspiração e muita vontade de fazer da hora de almoço uma hora de absoluto descanso, brindado com uma refeição deliciosa. Esta semana dividiu-se entre aproveitamentos do jantar do dia anterior, idas ao congelador e uns legumes salteados feitos para a marmita. Até para a semana...

Segunda-feira
Creme de alho francês + +Crepe de farrapo velho (aproveitamento, está mesmo a ver-se, que este ano o farrapo foi feito mais tarde) e salada de tomate e brócolos.


Terça-feira
Creme de alho francês + tarte de frango (congelador) e salada de cenoura com alcaparras, tangerina e coentros (a combinação cenoura, alcaparras e coentros é excelente, têm que experimentar)


                                                                          Quarta-feira
Creme de alho francês + Quinoa (congelador) com brócolos e ovo cozido (cozinhado com a o jantar de ontem) + molho de iogurte (dispensável) e uma chávena de chá de cavalinha para ajudar a auamentar a ingestão de liquidos

Quinta-feira
Creme de legumes (congelador) + Esparguete (refeição do dia anteriro) com legumes salteados em azeite, alho, sementes de coentros e gengibre (cebola, cenoura, curgete e brócolos) com migalhas de centeio e coentros.


Sexta-feira
Creme de legumes (congelador) +Tiras de peru grelhado (refeição anterior) com lentilhas (cozidas de véspera em quantidade suficiente para congelar)



8 de janeiro de 2015

Creme de alho francês



Está frio não está? Por isso voltam as sopas para nos aquecerem. Neste creme usei o feijão como hidrato e usei o chuchu como substituto da batata. O feijão traz os hidratos e é também uma rica fonte de proteínas. Uma sopa rica e leve ao mesmo tempo.   



Ingredientes:
250 gr. de chuchu
300 gr. de alho francês (só a parte branca)
100 gr. de cenoura
100 gr. de feijão branco demolhado durante 12 horas
1 cubo de caldo de legumes (caseiro de preferência)
Sal q.b.
Azeite q.b.
Cebolinho e noz moscada a gosto para servir

Preparação:
Tradicional:
Numa panela coloque o feijão e o chuchu, o alho francês e a cenoura (descascada) cortados em pedaços.
Junte cerca de 1 litro de água e o caldo de vegetais, tempere com sal e deixe cozer em lume médio/forte até os legumes estarem macios.
No fim, triture com a varinha mágica até estar uma sopa cremosa.
Se estiver muito grossa acrescente água quente (se usar água fria deixe levantar fervura novamente), retifique o sal e junte um fio de azeite.
Sirva polvilhado com cebolinho picado e um toque de noz moscada.

Bimby:
Coloque o feijão no copo limpe seco e triture com alguns toques de turbo. Com a espátula empurre o que ficou nas paredes do copo para o fundo.
Junte o chuchu, o alho francês e a cenoura (descascada) cortados em pedaços.
Junte cerca de 1 litro de água e o caldo de vegetais, tempere com sal e programe 25 minutos/100º/vel.1.
No fim, triture progressivamente nas velocidades 3-5-7-9 durante 1 minuto.
Se estiver muito grossa acrescente água quente (se usar água fria programe 5 minutos/100º/vel.1), retifique o sal e junte um fio de azeite.
Sirva polvilhado com cebolinho picado e um toque de noz moscada.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...